Moto roubada só é devolvida um ano depois de ser encontrada em Caruaru

A autônoma Thays Ferreira, foi vítima de um assalto no dia 26 de setembro de 2016, quando teve a sua moto roubada na rua Alfredo Pinto, no Bairro Vassoural. Ela foi para a Delegacia de Polícia onde fez o Boletim de Ocorrência, na esperança de encontrarem sua moto. O veículo foi encontrado, contudo, Thays só foi notificada mais de um ano depois.

No momento do assalto, Thays teve que entregar todos os pertences. Durante o contato com os Policiais, ela foi convencida a prestar um B.O. na Delegacia. “Me convenceram com todos os argumentos para ir a delegacia urgentemente pois se encontrassem [minha moto] me devolveriam.” Thays acabou prejudicada pois utilizava a moto para trabalhar, e, mesmo fazendo todos os procedimentos solicitados pela seguradora do veículo, ela foi informada que o valor só seria restituído após três meses.

Mais de um ano depois, Thays recebeu um telefonema, informando que sua moto havia sido encontrada. “Passados 1 ano e 10 dias exatamente, o policial que foi contratado pela seguradora para ficar responsável por ir procurar essas motos nos depósitos me ligou, sendo que o [meu] contato ele não conseguiu com a seguradora, ele conseguiu pelo BO que fiz.”

Ao chegar no depósito, Ferreira encontrou a moto abandonada, e sem qualquer informação de como o veículo foi parar lá. Ela ainda foi informada que a moto havia sido encontrada a aproximadamente um ano. “Ninguém sabe como a moto chegou lá. Não existe boletim de recebimento. Nem como foi recuperada. O próprio delegado e o escrivão me perguntaram se eu sabia como chegou lá. Eu sorri. E me calei.” relatou indignada.

Thays não entende o porque não foi notificada ao encontrarem a moto, mesmo fazendo tudo como a Polícia havia mandando. “A moto estava travada, as chaves foram perdidas. Minha carteira nunca apareceu. E nunca iriam me ligar se a seguradora não tivesse contratado esse policial para procurar.” contou.

POLÍCIA DIZ QUE FATO FOI “ATÍPICO”

A Polícia Civil informou o PMU que não sabe o que aconteceu. O órgão ainda afirma que não tem a informação exata de quanto tempo a moto estaria parada, porém, já estão tomando medidas para que não aconteça novamente. “Não sabemos precisar o período entre a localização e a entrega da motocicleta. A Polícia Civil já instaurou sindicância para apurar o fato que é atípico.” informou por meio de nota.

 

Sabrina Sales

Estudante do sexto período de Comunicação Social com Ênfase em Jornalismo pela Unifavip – DeVry em Caruaru/PE.