Protetores de animais em Caruaru falam sobre dificuldades durante o frio

Com a chegada da estação do inverno, o frio e a chuva aumentaram consideravelmente em várias regiões do Brasil. Em Caruaru, por exemplo, as chuvas têm ocorrido diariamente e o termômetro chega a marcar 17° C. Para muitos, o período é aconchegante e bonito. Para aqueles que vivem na rua, como os animais, o inverno é ainda mais frio e triste.

Desde sempre, os animais de rua sofrem com a falta de cuidado e atenção. Na época mais fria do ano, os problemas pioram, principalmente para aqueles que não possuem pelos suficientes para se aquecer. Para ajudá-los, alguns grupos, como o Desabandone Caruaru, realizam ações não só no inverno, mas durante todo o ano, que visam proteger os animais de rua propensos a riscos diários.
Ana Karina, 38, é uma das participantes do Desabandone Caruaru e destaca a importância de ações voltadas para esta área, principalmente no inverno. ” O Desabandone Caruaru é um grupo de amigas, que no espaço virtual promove e divulga algumas ações, além de algumas outras que acontecem fora das redes sociais. É muito importante ações como essa porque, infelizmente, não há abrigos que recolham animais nem por ONG’s, nem por parte da prefeitura”.

Entretanto, os desafios para proteger os animais neste período ou em qualquer outro, são inúmeros. Ana diz que, sem dúvidas, o maior deles é a falta de espaço. Por isso, ela afirma ser muito importante a população ter a sensibilidade em abrigar um animal neste tempo. Eles precisam de um local seguro em todas as estações, mas no inverno essa necessidade aumenta. Então se for possível, acolha um animal carente”, destaca.

Como o grupo tem grande participação nas redes sociais, Ana Karina diz que mesmo que não haja a possibilidade de algum morador abrigar um animal, ele pode procurar o Desabandone e doar artigos como casinhas, roupas, cobertores e colchões. Quem quiser doar caminhas, casinhas, roupinhas, cobertores, colchões para animais, é só nos avisar pelas redes sociais, pra combinarmos um local pra pegarmos”.

Ana ainda ressalta a importância de parcerias com clínicas veterinárias, já que elas possuem grande contato com animais.

A cientista política, professora da Universidade Federal de Pernambuco e protetora de animais, Ana Maria de Barros, afirma que o inverno é um tempo desafiador para todos os seres vivos, principalmente para quem vive na rua, como os animais. Segundo a professora, é necessário que o sentimento de solidariedade surja na população. “O frio é terrível para todos os seres vivos. Por isso, é preciso que o sentimento de solidariedade aconteça de verdade”.

Ainda de acordo com a protetora, qualquer morador pode ajudar um animal com simples atitudes como comida, água, observar se ele está com alguma doença ou até mesmo procurar a Gerência de Proteção Animal do município, ONG’s e protetores. Mas, acima de tudo, ela afirma que a adoção é a melhor ajuda. “Com certeza a maior ação é a adoção. Se alguém já tem algum animal adotado, adote mais um”. 

Ao falar também das dificuldades que um protetor de animal enfrenta ao lutar pela causa, a cientista destaca que não há nenhuma lei que ajude os protetores de animais, bem como todos os gastos com os animais são de recursos dos próprios protetores. Por isso, ela afirma que a participação popular é fundamental, pois hoje ela ainda é insensível. “A participação popular ainda é muito virtual”, afirma.

 

 

 

 

Geison Flávio

Estudante do 3º período de jornalismo e estagiário no Portal Mídia Urbana