Caruaru registra aumento de homicídios nos últimos anos

Os índices de violência nos últimos anos em Caruaru só vem aumentando. No ano de 2017, os meses de abril e maio tiveram 31 mortes cada um, o que dá aproximadamente 1 morte por dia. No mesmo ano, outubro e dezembro foram os meses com menor número de homicídios, 14 em cada um, o que ainda chega a aproximadamente uma morte a cada dois dias.
 
Além dos assustadores números de homicídios, a quantidade de assaltos que acontecem na cidade diariamente vem deixando os caruaruenses mais receosos ao sair nas ruas da cidade. Mesmo com uma redução de homicídios entre o começo e o fim do ano de 2017, este tipo de crime vem crescendo consideravelmente no decorrer dos anos.
 
Para se entender melhor o quanto o homicídio vem crescendo na cidade, em 2015 Caruaru contou com 204 mortes, em 2016 foram 225 mortes, e em 2017 com um aumento considerável, a cidade registou um total de 262 homicídios. Levando esses números em consideração, em dois anos o número de homicídios aumentou em 58 crimes.
 
O Garçom Wanderson Santos, contou que conhece muitas pessoas que foram assaltadas no ano passado, inclusive ele também foi vitima deste tipo de crime. “Eu vinha da faculdade, por volta das 22h30, estava próximo a minha residência, a pessoa em questão estava com um revólver e me abordou. Levou meu relógio e celular”.
 
Wanderson disse ao PMU que acha que o ano de 2017 deve ser muito avaliado, com os índices assustadores de violência que o município apresentou. Porém, ele esta esperançoso com o ano que se iniciou. “Em relação ao ano de 2018 eu estou bastante otimista. Algumas coisas já começaram a melhorar.” contou.
A equipe do PMU entrou em contato com a Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS-PE), para saber o que eles pretendem fazer para melhorar esses números em 2018. A Secretaria informou por meio de nota que vem trabalhando com o envolvimento de quatro operativas para combater a violência em Caruaru.
Na nota, a SDSD cita a criação do Biesp – Batalhão Integrado Especializado de Policiamento, a implantação de uma delegacia de narcotráfico no bairro do Salgado e diversas operações de repressão qualificada, que de acordo com a Secretária, essas ações vem mostrando resultados positivos.
Confira a nota da SDS-PE na íntegra:

“A Secretaria de Defesa Social informa que tem trabalhado de forma intensa e integrada, com o envolvimento das quatro operativas, para prevenir e combater a violência na cidade de Caruaru e em todo o Agreste. No segundo semestre de 2017, a região inteira foi beneficiada com a criação do Biesp, com 300 novos policiais, a implantação de uma delegacia de narcotráfico no bairro do Salgado e diversas operações de repressão qualificada, a exemplo da Força no Foco,  RONE (Rondas Ostensivas de Natureza Extraordinária), além do reforço no policiamento ostensivo por meio das operações Têxtil, Papai Noel, Monte Seguro e Banco Seguro. No último dia 17/01, foi realizada, em Santa Cruz do Capibaribe, uma reunião da Câmara de Defesa Social para o Agreste, com participação dos poderes municipal, Judiciário e Ministério Público. Mais uma ação do Pacto pela Vida na região, monitorando e articulando as forças que atuam na segurança pública.Os resultados dessas ações já são constatados nos números. Na cidade de Caruaru, houve uma diminuição nos números de homicídios no último trimestre de 2017 (-50% em outubro,  -15% em novembro e -22% em dezembro), se comparado ao mesmo período de 2016. O levantamento também mostrou queda dos Crimes contra o Patrimônio (CVPs) ocorridos na cidade, comparando-se 2017 com 2016: -31% em outubro, -37% em novembro e -30% em dezembro.

Ações preventivas também vêm sendo realizadas para a prevenção à violência contra a mulher. Funciona no município a Secretaria de Política para as Mulheres, o Centro Especializado de Atendimento à Mulher em situação de Violência Maria Bonita, o Conselho Municipal da Mulher, a 14ª Delegacia Especializada de Atendimento á Mulher, que investiga os crimes de estupro ocorridos no município; a Delegacia Comum, a Vara de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, atuando de forma integrada com o Ministério Público, a Defensoria Pública, o Conselho Tutelar, Unidade e com unidades hospitalares para o Atendimento a Vítimas de Violência Sexual e para o Aborto Legal Previsto em Lei.  A polícia alerta sempre as mulheres para denunciarem, em uma delegacia, as agressões. As estatísticas mostram que, ao serem notificadas, as polícias rompem o ciclo progressivo das agressões, prevenindo um possível feminicídio.

Continua após a publicidade

Para 2018, haverá novas unidades da Polícia Civil e Científica, além do incremento de efetivo militar e civil possibilitado pela formação de novos alunos, já neste primeiro trimestre do ano. Cada delegacia contará com equipe completa, incluindo delegado, e haverá mais PMs nas ruas. A SDS ressalta ainda que um diálogo tem sido feito com as prefeituras, na construção de uma cidade mais segura para seus habitantes. Diversas ações ajudam a prevenir violência, como trabalhos sociais que tirem a juventude do tráfico e do uso de drogas; fomento à cultura, esportes e lazer em espaços públicos; reforço da guarda municipal e de trânsito; instalação de câmeras de videomonitoramento; disciplinamento urbano para evitar a favelização, terrenos baldios e casas abandonadas; investimento em iluminação pública e o combate à perturbação do sossego.”

Recomendado para você