Eleitores de Caruaru revelam fator decisivo para voto no primeiro turno



Continua após a publicidade

Em Caruaru, Bolsonaro recebeu a vitória em primeiro turno com 41,56%, sendo acompanhado por Haddad com 31,89% e Ciro com 18,82%. Em contraste, o Nordeste foi a única região do país onde o candidato petista ficou em primeiro lugar, já em todas as outras regiões o candidato do PSL saiu vitorioso.

A equipe do Mídia Urbana resolveu conversar com alguns eleitores caruaruenses para saber qual foi o fator decisivo para a escolha do voto.

Bolsonaro (PSL)

O médico, Filipe Livino, de 36 anos, contou que realizou sua escolha devido ao sentimento de que os valores morais da sociedade estão sendo negados desde que o PT ocupou o Planalto. “O mínimo de alianças políticas e a defesa dos valores familiares são requisitos necessários para uma melhor condução política do Brasil” finalizou Livino.

O comerciante, Isaac Gabriel, de 21 anos, escolheu seu candidato porque os projetos de Bolsonaro condizem mais com a opinião pessoal dele.

A nutricionista, Deyse Andrade, de 24 anos, diz que sua escolha teve vários motivos, principalmente por concordar com várias de suas idéias.

Haddad (PT)

A professora, Maria Paula Lucatelli, de 21 anos, não teve dúvidas momento nenhum de quem seria seu candidato. “[Votei nele] pela crença nas políticas públicas implementadas pelo PT nos governos Lula e Dilma. Além, claro, da necessidade de restabelecimento democrático após o golpe de 2016”, Lucatelli comentou sobre seu ponto de vista..

O professor universitário, Diego Rocha, de 37 anos, escolheu o seu candidato pois se considera militante do PT e também por acreditar nas propostas do partido.

A nutricionista sanitarista, Janaína Nascimento, de 27 anos, decidiu em quem votar porque considerava que ele teria as melhores propostas, por ter um legado enquanto ministro da educação e também porque sabia que o candidato Ciro não chegaria no segundo turno.

Ciro (PDT)

O estudante de educação física, Josué Leandro, de 24 anos, resolveu votar em Ciro para presidente devido senti que ele era o mais preparado por tornar o estado do Ceará o com a melhor educação pública brasileira.

O auxiliar administrativo, Carlos Recupero, de 38 anos, escolheu seu candidato pois o considerava o mais capacitado, com as propostas mais viáveis para comandar o país. “Áreas como: educação,saúde,economia e segurança foram abordadas com clareza e objetividade pelo plano governo de Ciro. Ele também tem experiência em gestão pública, tendo em vista que foi Governador do Ceará e ministro da integração nacional” Completou Recupero sobre sua decisão.

O estudante universitário, Antônio Virgínio, de 25 anos, escolheu seu candidato de acordo com as pesquisas que mostravam que Ciro seria o único candidato que ganharia de Bolsonaro no segundo turno. “Poderia ter votado no Haddad, na Marina ou no Alckmin mas nele não. Ele nunca” Se posicionou Virgínio.

Recomendado para você