Caminhoneiros de Pernambuco na expectativa sobre crédito do Governo Federal

O Governo Federal anunciou nesta terça-feira (16), uma linha de crédito de R$ 500 milhões, dos quais os caminhoneiros autônomos terão acesso a até R$ 30 mil. Para ter direito a retirar esse dinheiro, o interessado pode ter no máximo 2 caminhões registrados em seu CPF.

Continua após a publicidade

Leia também: Governo Federal anuncia linha de crédito de até R$ 30 mil para caminhoneiros

Com essa notícia, muitos caminhoneiros já procuraram saber um pouco mais sobre como funcionaria essa linha de crédito, e realizaram suas análises pessoais sobre se este seria um projeto positivo para a categoria. A equipe do Portal Mídia Urbana resolveu conversar com alguns caminhoneiros para entender o que eles estão pensando sobre essa linha de crédito.

O presidente do Sindicato dos Cegonheiros do estado de Pernambuco, Milton Freitas, afirmou que essa linha de crédito é positiva pois incentiva o setor. “Esse governo está vindo com uma política diferente, estamos acompanhando tudo que se passa no nosso setor, agora nesse momento não temos motivos para paralisação desde que esse canal continue aberto”.

Quando questionado sobre o caminhoneiro só poder ter até dois caminhões registrados, Milton lembrou que atualmente o governo também oferece o “Procaminhoneiro”, que é um empréstimo com uma pequena taxa de juros, para incentivar a compra de novos caminhões. “Dessa forma, o governo proporciona a movimentação de recursos no setor de transportes no Brasil, e assim toda uma cadeia vai se beneficiar”.

Carlos Romildo, que é caminhoneiro, ficou bem animado com a linha de crédito anunciada pelo governo. “Hoje se eu tivesse R$ 30 mil eu compraria um caminhão e já começaria a tocar minha vida sem trabalhar para ninguém, financiaria uma parte e comprava um caminhão de pequeno porte”.

Por outro lado, Carlos acredita que o valor é muito pequeno, porém mesmo assim acredita que se trata de um bom projeto, desde que uma boa fiscalização seja realizada e o crédito vá realmente para os autônomos. “Se bem que o governo poderia aumentar esse valor, pois nosso país é muito rico”.

Para o caminhoneiro autônomo Gleison Soares, a categoria está tendo uma linha direta de diálogo com o Governo Federal. “A pretensão de greve não existe de forma alguma porque hoje temos um acesso que a gente não tinha, até porque é muito cedo para a gente dizer vamos fazer uma greve com o governo que só está trabalhando a quatro meses”.

O valor que está sendo liberado pelo governo de acordo com Gleison não é suficiente, por outro lado, ele diz que é melhor, levando em consideração que antes não se tinha nada. O fato de o caminhoneiro poder ter até dois caminhões no CPF, Soares acha algo positivo. “Pode ser que mais para frente podem até mexer nisso, mas é uma coisa boa, o governo está querendo, no meu ponto de vista, organizar a casa”.

Recomendado para você