Santa Cruz: Ministério Público exige São João só depois de pagamento de servidores

Continua após a publicidade

Após tomar conhecimento que a Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe iria realizar o evento São João da moda 2019, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) ingressou com uma petição, no último dia 6 de maio, perante a Vara da Fazenda Pública da Comarca de Santa Cruz do Capibaribe, solicitando ao prefeito Edson de Souza Vieira que informasse oficialmente à Justiça irá realizar a festividade, desrespeitando a liminar concedida em dezembro de 2018.

De acordo com a liminar, a Vara da Fazenda Pública, a pedido do MPPE, proibiu a realização de qualquer festividade pública com uso de recursos municipais enquanto a Prefeitura não honrar suas obrigações com servidores públicos ativos e aposentados, comissionados, temporários e terceirizados.

Caso o prefeito informe que vai continuar com a festividade, o MPPE requisitou a aplicação de multa de R$ 50 mil contra o gestor, além do acionamento da Celpe para assegurar o corte da energia em qualquer evento que contrarie a decisão judicial, conforme prevê a decisão judicial do ano passado.

“Caso a decisão seja descumprida, o prefeito pagará a quantia, sem prejuízo da configuração do crime de desobediência previsto no artigo 330 do Código Penal Brasileiro, além da possível configuração de ato de improbidade administrativa previsto no artigo 11 da Lei 8.429/92”, informou o promotor de Justiça Lúcio Carlos Malta Cabral.

Recomendado para você