Ministro pretende dividir o programa Minha Casa Minha Vida em dois


Continua após a publicidade

(Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados)

Nesta terça-feira (04), o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, anunciou que o governo pretende dividir o programa Minha Casa Minha Vida em dois, um para pessoas de famílias de renda baixíssima e outro destinado a famílias de baixa e média renda. O ministro explicou ainda, que dentro de cada um dos programas haverá subdivisões.

FAMÍLIAS DE BAIXA E MÉDIA RENDA

Já no programa destinado a famílias de baixa e média renda, haverá incentivo para a aquisição do imóvel, seja por meio de financiamentos ou por “poupança imobiliária” como chamou o ministro. Essa poupança seria uma espécie de aluguel pago pelo beneficiário, que pode ser usado para adquirir um imóvel.

Ele explica que essa poupança seria acumulada enquanto as famílias moram em casas construídas pelo governo. Não seria um aluguel, e sim uma poupança para poder adquirir o imóvel.

FAMÍLIAS DE RENDA BAIXÍSSIMA

No programa para as família com renda baixíssima, as pessoas que não tem acesso ao crédito imobiliário, foram afetadas por situações de emergência ou calamidade pública, ou ainda por obras públicas, terão o custo das moradias totalmente pago pelo governo.

A inclusão dessas famílias no programa, que terão o imóvel 100% financiado pelo governo, levará em consideração o valor de um salário mínimo, porém, pode ser maior ou menor a depender da região.

Recomendado para você