Negros têm rendimentos menores do que brancos em Pernambuco; segundo IBGE

(Foto: Divulgação)

O estudo Desigualdades sociais por cor ou raça no Brasil, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostrou que pretos e pardos despontam com menos oportunidades de formação escolar e, consequentemente, o resultado acaba reverberando nas oportunidades profissionais, de rendimento e condições de moradia.

De acordo com o estudo, em 2018 16,1% das pessoas estavam desocupadas, sendo 13,1% brancas e 17,5%, pretas ou pardas. Além disso, 32,2% da força de trabalho do estado estava subutilizada, sendo que 29,2% se autodeclararam brancos e 34,2%, pretos ou pardos.

Continua após a publicidade

A pesquisa mostrou ainda que em Pernambuco, 58,9% dos alunos do nono ano, que estão na faixa dos 14 anos, estão em escolas situadas em áreas de risco. Entre os brancos, são 50,7% e sobe para 62,6% entre pretos e pardos. As pessoas ocupadas com idade de 14 ou mais anos tiveram rendimento médio real habitual do trabalho principal de R$ 1.529. Desse valor, os brancos receberam R$ 1.865 e os pretos os pardos R$ 1.356, em média.

Com informações do Diário de Pernambuco.

Recomendado para você