Bolsonaro chama Moro de ‘Judas’ horas antes do  depoimento do ex-ministro

HomeBRASIL

Bolsonaro chama Moro de ‘Judas’ horas antes do depoimento do ex-ministro

O presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) chamou neste sábado (02), o ex-ministro Sérgio Moro de 'Judas'. A menção ao ex-juiz ocorreu após o presi

Governo Bolsonaro reduz previsão do salário mínimo para R$ 1.031
Bolsonaro propõe congelar salário dos servidores até 2021 em reunião com governadores
Caixa vai estender pausa para pagar prestação de imóvel, diz Bolsonaro

(Foto: Carolina Antunes/PR)

O presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) chamou neste sábado (02), o ex-ministro Sérgio Moro de ‘Judas’. A menção ao ex-juiz ocorreu após o presidente comentar um vídeo que fala sobre o atentado à faca que sofreu durante a campanha para presidência da República, Bolsonaro questiona: “O Judas, que hoje deporá, interferiu para que não se investigasse?”.

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, pediu demissão no dia 24 de abril da pasta após anunciar a impressa que a troca do diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, por Bolsonaro tinha como objetivo a interferência política do presidente nas investigações que envolvem seus filhos. 

Moro depõe neste sábado na Polícia Federal, em Curitiba. O presidente também questiona se os mandantes do ataque “estão em Brasília”. “Nada farei que não esteja de acordo com a Constituição”, escreveu.

O ministro Celso de Mello, decano do Supremo Tribunal Federal, deferiu nesta sexta (1º), pedido formulado pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, e designou três procuradores indicados pela PGR para acompanhar o depoimento do ex-ministro.

Com a designação, acompanharão o depoimento os procuradores João Paulo Lordelo Guimarães Tavares, Antonio Morimoto e Hebert Reis Mesquita. O trio também ficará responsável por acompanhar os demais atos e diligências a serem praticados no inquérito.

O depoimento do ex-ministro e ex-juiz federal acontece após Moro fazer graves acusações contra Bolsonaro, que levaram até a suspensão do nome de Alexandre Ramagem, indicado do presidente, para a direção-geral da PF. Segundo Moro, Bolsonaro tentou interferir politicamente na PF.

COMENTÁRIOS

WORDPRESS: 0
DISQUS: 0