Caso Miguel: Ministério Público denuncia Sarí Corte Real por abandono de incapaz

Foto: Reprodução/Internet

O Ministério Público de Pernambuco anunciou nesta terça-feira (14) que denunciou à Justiça a primeira-dama de Tamandaré e empresária, Sari Corte Real, pela morte do menino Miguel. De acordo com a nota divulgada pelo MPPE, Sari foi denunciada por abandono de incapaz. Ela é acusada pela morte do menino Miguel Otávio Santana da Silva, de 5 anos, que caiu do 9º andar de um prédio de luxo na área central do Recife.

Ainda segundo o MPPE, o processo foi encaminhado à 1ª Vara de Crimes contra Criança e Adolescente da Capital. Além disso, o promotor responsável pela denúncia pediu um agravante da pena porque o crime ocorreu contra criança e em meio a calamidade pública provocada pela pandemia da Covid-19 (Sars-Cov-2). 

Continua após a publicidade

O Código Penal prevê uma pena de 4 a 12 anos por abandono de incapaz. 

INQUÉRITO POLICIAL

A Polícia Civil de Pernambuco indiciou por abandono de incapaz na quarta-feira (1º de julho) a primeira dama de Tamandaré, Sare Corte Real, pela morte do garoto Miguel Otávio, de 5 anos, que morreu após cair de uma altura de 35 metros num prédio de luxo, no dia 2 de junho no Recife. Na coletiva de imprensa, de acordo com o delegado responsável pelo caso, Ramon Teixeira, o inquérito policial apontou que a moradora do prédio cometeu um “crime preterdoloso”.

Durante a coletiva de imprensa, o delegado Ramon Teixeira disse que a conduta de permitir o fechamento da porta do elevador foi dolosa, mesmo que Sari não visualizasse a possibilidade de que sua conduta resultaria na morte da criança.

Recomendado para você