Caso Miguel: vereadores arquivam pedido para investigar prefeito de Tamandaré

A Câmara de Vereadores de Tamandaré, no litoral Sul de Pernambuco, arquivou o pedido de investigação de denúncias de improbidade administrativa e quebra de decoro contra o prefeito Sérgio Hacker (PSB). Ele é marido de Sari Corte Real, que estava com Miguel Otávio, de 5 anos, quando a criança morreu ao cair do prédio onde o casal mora, no Recife. A mãe e avó do garoto trabalhavam como domésticas para Sérgio e Sari, mas recebiam salário da prefeitura.

Prefeito Sérgio Hacker teve pedido de investigação negado por vereadores de Tamandaré, em Pernambuco — Foto: Reprodução/Facebook

Miguel morreu no dia 2 de junho. A mãe dele a doméstica Mirtes Renata, saiu para passear com a cadela da família Hacker Corte Real, no condomínio Píer Maurício de Nassau, conhecido como uma das Torres Gêmeas, no Centro.

Continua após a publicidade

A perícia técnica constatou que o menino despencou de uma altura de 35 metros, depois de ficar sozinho nos elevadores do condomínio, ao sair para procurar Mirtes. Sari Corte real chegou a ser presa e pagou fiança de R$ 20 mil. Denunciada por abandono de incapaz que resultou em morte, ela aguarda julgamento em liberdade.

O pedido de investigação foi feito, em 8 de junho, por um morador da cidade. José Soares da Silva alegava que o pagamento de salários para a mãe e avó de Miguel configuravam desvio de função e lesão aos cofres públicos.

Ele também solicitava a abertura de uma Comissão parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar a existência de possíveis outros funcionários-fantasmas na prefeitura. Os pedidos de investigação foram negados por sete vereadores e aprovados por três parlamentares, que estavam presentes na sessão de quarta (5).

do G1,

Recomendado para você