Anvisa pede que Saúde corrija texto sobre consulta público de vacinas para crianças

HomePernambuco

Anvisa pede que Saúde corrija texto sobre consulta público de vacinas para crianças

Depois do Ministério da Saúde anunciar a abertura de uma consulta pública para avaliar a vacinação contra a Covid-19 de crianças de 5 a 11 com o imuni

Governo de Pernambuco realizará busca por passageiros que estavam em voo com paraibano suspeito com coronavírus
Anvisa recebe pedido de uso emergencial da vacina CoronaVac
Anvisa aprova testes rápidos para covid-19 em farmácias

Depois do Ministério da Saúde anunciar a abertura de uma consulta pública para avaliar a vacinação contra a Covid-19 de crianças de 5 a 11 com o imunizante da Pfizer, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) enviou um ofício à pasta pedindo a correção do texto de abertura da consulta publicado pelo governo federal no Diário Oficial da União (DOU), nessa quarta-feira (22).

Segundo a agência, o texto indica que a vacinação contra a Covid-19 de crianças de 5 a 11 anos foi autorizada pela Anvisa, mas o órgão regulador explica que seria errado afirmar isso “já que a Anvisa não tem a atribuição de autorizar nenhuma campanha de vacinação no Brasil”.

“A competência da Agência Reguladora está na concessão do registro dos imunizantes. Em 16 de dezembro de 2021, a Anvisa autorizou a inclusão da indicação da vacina Comirnaty para imunização contra a Covid-19 em crianças de 5 a 11 anos de idade, permitindo o início do uso da vacina no Brasil para esta faixa etária”, explanou a Anvisa no ofício enviado ao Ministério da Saúde.

No entanto, para que, de fato, a vacina seja aplicada em crianças, o Ministério da Saúde é quem precisa autorizar a vacinação deste público com o imunizante já autorizado pela agência. “A decisão sobre, quando, como e se a vacina Pfizer-BioNTech Covid-19 será adotada pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) para crianças de 5 a 11 anos é do Ministério da Saúde”, reforçou a agência em nota.

Apesar da Anvisa já ter atestado a segurança, qualidade e eficácia da vacina da Pfizer para crianças, o Ministério da Saúde resiste em incluir o público pediátrico na campanha de vacinação contra o novo coronavírus. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, indicou, mais de uma vez, não ter pressa para iniciar a imunização do grupo. Disse que “a pressa é inimiga da perfeição” em relação à vacinação de crianças.

Com informações do Diário de PE.

COMENTÁRIOS

WORDPRESS: 0
DISQUS: 0