Raquel e Marília seguem na busca por apoio dos 9 candidatos derrotados no 1º turno

HomeDIRETO DA REDAÇÃO

Raquel e Marília seguem na busca por apoio dos 9 candidatos derrotados no 1º turno

O primeiro turno das eleições no último (02) configurou um quadro inédito e histórico para Pernambuco, já que é a primeira vez que uma mulher será eleita governadora do estado e que duas mulheres seguem na disputa pela vitória no segundo. Mas, até o domingo, 30 de outubro, ainda há muito o que se definir, como o apoio dos outros nove candidatos derrotados. Nesse sentido, a candidata tucana, Raquel Lyra (PSDB), ex-prefeita de Caruaru, largou na frente ao conquistar o apoio inequívoco do terceiro lugar na apuração, Anderson Ferreira (PL), o candidato apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro, que assim como a tucana, já foi prefeito da segunda maior cidade do estado, Jaboatão dos Guararapes.

Porém, o apoio de Anderson a Raquel pode trazer um tom um certo indigesto para os eleitores e eleitoras que nela votaram no primeiro turno, devido a Anderson ser um apoiador declarado de Bolsonaro, que está longe de ser a preferência do povo pernambucano, já que o ex-presidente Lula, ganhou com folga na apuração dos votos em Pernambuco.

Por outro lado, Marília Arraes (SD) recebeu o apoio da candidata Cláudia Ribeiro (PSTU) que está longe de ser a fiel da balança a ponto de garantir a vitória de Marília, fiel oposicionista a família do seu tio, a família Campos, que mais uma vez conseguiu eleger um herdeiro do ex-governador Eduardo Campos. Em 2022, o eleito para deputado federal foi Pedro Campos (PSB).

Enquanto os outros sete derrotados ainda não definem o apoio. Dois deles merecem uma atenção especial, Danilo Cabral (PSB), fatalmente prejudicado pela má avaliação do governador Paulo Câmara, culminando com o PSB deixando o comando estadual em 2023, após 16 anos de hegemonia. Afinal de contas, Danilo, ou melhor, Paulo Câmara e a família Campos vão engolir o próprio rancor e apoiar Marília, dando a chance de um crescimento dela como líder política no estado. Ou ainda, Paulo Câmara e a família Campos irão ter de engolir o próprio rancor também no outro cenário para apoiar Raquel Lyra. Ainda não nenhum sinal dado por Danilo e Paulo, mas tratando-se de Paulo Câmara, provavelmente nenhuma das duas deverá desejar carregar o fardo da não aceitação do governador pela população pernambucana.

Já Miguel Coelho (UB) deve sinalizar em algum momento o apoio formal a colega ex-prefeita, Raquel Lyra, o que não seria nenhuma surpresa, já que Miguel apoiar Marília que carrega o legado dos Arraes, seria quebrar o discurso de “busca por mudança”.

COMENTÁRIOS

WORDPRESS: 0
DISQUS: 0